Todos os posts de AESDP

ALTERAÇÕES À FORMAÇÃO CONTÍNUA DE TREINADORES

Foi publicada ontem a Portaria n.º 141/2020, que vem regular a formação contínua de treinadores de desporto. Esta portaria entra em vigor no dia 1 de julho e traz consigo grandes alterações ao processo de formação contínua e revalidação das cédulas de treinadores.

As principais conclusões tiradas desta nova Portaria são as seguintes:

  • A revalidação da cédula de treinador passa a ter que ser feita a cada 3 anos, ao contrário dos 5 anos que vigoravam até agora;
  • Para a revalidação, passa a ser apenas necessário obter 3 Unidades de Crédito (15 horas de formação), ao invés dos 10 créditos (50 horas) obrigatórios até agora;
  • Deixou de haver obrigatoriedade de haver formação contínua da componente especifica e presencial;

Além disso, no caso de treinadores que tenham neste momento a cédula caducada mas que já tenham obtido 3 créditos, com a entrada em vigor da portaria a 1 de Julho, a cédula passará automaticamente a “ativa” e renovada por três anos.

Podem consultar na íntegra esta Portaria através deste link.

Top

AESDP e FPS colaboram em projeto de sinalética nas praias

A Federação Portuguesa de Surf (FPS) e a Associação de Escolas de Surf de Portugal (AESDP) lançam hoje uma campanha de comunicação assente na sinalética a adotar nas praias nacionais com vista à prevenção do COVID e etiqueta de surf, numa chamada de atenção às autoridades e sociedade civil para o papel das escolas de surf enquanto agentes ativos na gestão daquele que é o seu espaço de ação por excelência: a praia.

A campanha assenta em dois cartazes: um dedicado às medidas de prevenção de contágio com a COVID-19, e outro de etiqueta de surf, duas questões que se complementam e que contribuem para uma melhor (e mais segura) fruição do surf.

O presidente da Federação Portuguesa de surf, João Aranha, contextualiza assim a campanha conjunta: “É uma colaboração entre a Federação e a Associação para uma maior sensibilização dos utentes das nossas praias e uma abertura à colaboração com as autarquias no sentido de implementar uma sinalética mais clara neste contexto pandémico que exige, acima de tudo, uma comunicação eficaz e abrangente.”

Por sua vez, Afonso Teixeira, Diretor Executivo da AESDP, reforça: “O objetivo desta campanha é, acima de tudo, destacar o papel das escolas de surf como agentes que dão apoio à gestão das praias e contribuir com sinalética para ajudar na comunicação na praia.”

A FPS e AEDSP esperam agora um bom acolhimento por parte das autarquias costeiras para transformar esta campanha em sinalética física de apoio nas praias de norte a sul do país.

Top

PROJETO MELHOR TURISMO 2020

Informação atualizada, de maio de 2020, sobre o projeto Melhor Turismo 2020, financiado pela Confederação do Turismo de Portugal (CTP) através do Portugal 2020, de FORMAÇÃO e CONSULTORIA para as empresas do surf, em parceria com a entidade formadora e consultora Biosphere Portugal.

Principais informações:

  • Este projeto é destinado às empresas que operam nas regiões Norte, Centro ou Alentejo – se não tiverem sede em uma destas regiões, devem comprovar que desenvolvem atividade numa das regiões;
  • Devido à situação atual, decidimos comparticipar o custo que as empresas teriam para participar. Assim, a participação no projeto é gratuita, mediante um compromisso de participar em pelo menos 95% das horas de formação e consultoria;
  • A participação no projeto atribui as 10 unidades de crédito IPDJ necessárias à revalidação das cédulas de treinadores.

Áreas de Intervenção:

  • Gestão de recursos e Economia Digital: 72 horas de consultoria + 48 horas de formação; 
  • Implementação e Certificação de Sistema de Gestão de Boas Práticas de Sustentabilidade: 60h de consultoria + 40h de formação. 

Download Apresentação Projeto

Top

ESCLARECIMENTO: ATIVIDADES DE ENSINO DE SURF

Com o intuito de esclarecer toda a comunidade quanto à legalidade das aulas e treinos de surf nesta fase do desconfinamento, produzimos um documento de esclarecimento juntamente com a Federação Portuguesa de Surf (FPS).

Tendo em conta toda a desinformação que foi sendo vinculada ao longo dos últimos dias, as escolas que tinham retomado a sua atividade estavam a ser vistas como incumpridoras, quando a atividade é já permitida em várias regiões.

Assim, decidimos junto da FPS transmitir um sinal de união pela importância do momento que atravessam as escolas de surf, defendendo-as ao esclarecer toda a comunidade que a atividade que desempenham é já legalmente permitida.

Consultar o comunicado neste link.

Top

JÁ ESTÁ DISPONÍVEL A PRIMEIRA VERSÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ESCOLAS DE SURF

Conforme o compromisso estabelecido pela Associação de Escolas de Surf de Portugal (AESDP) na Carta Aberta enviada ao Governo, foi hoje entregue a primeira versão do Plano e Manual de Contingência para a retoma da atividade de ensino de surfing.

Este documento é o resultado da participação ativa dos associados da AESDP na procura de uma solução equilibrada, que permita a retoma da atividade económica ligada às modalidades de deslize em ondas em segurança.

A Associação pretende que este seja tido como o primeiro contributo para um plano que deverá estar em constante aperfeiçoamento, que foi partilhado com todos os interessados para que possa haver um maior volume de contributos e sugestões de alteração.

Esta versão do Manual de Contingência AESDP pode ser consultada neste link.

Top

CARTA ABERTA AO GOVERNO

A Associação de Escolas de Surf de Portugal (AESDP) elaborou uma carta aberta ao Governo, que enviou a vários membros do Executivo, aos Presidentes da República, da Assembleia da República, da Federação Portuguesa de Surf e ao Almirante da Autoridade Marítima Nacional.

Esta carta foi enviada com o intuito de sensibilizar para a necessidade de retorno faseado e responsável à atividade, indicando as fases que a AESDP considera dar as necessárias garantias de segurança e de salvaguarda da saúde de todos. A Associação compromete-se ainda a elaborar e apresentar, até ao final do período do atual Estado de Emergência, uma proposta de um manual de contingência e de novas práticas a adoptar por todos os operadores.

A AESDP diz-se consciente que cada uma das atividades económicas, bem como os hábitos recreativos e de lazer da população, terão necessariamente que ir sendo recuperados aos poucos, sendo esta carta o contributo da Associação para o retorno faseado da atividade de ensino de surf, com o intuito de salvaguardar a sobrevivência dos operadores.

A carta pode ser consultada na íntegra através deste link.

Top

TREINADORES E ESCOLAS DEBATERAM O FUTURO DO ENSINO DE SURF EM PORTUGAL

Cerca de 50 operadores de ensino de surf e convidados especiais estiveram reunidos via vídeoconferência no Encontro Nacional de Escolas e Treinadores de Surf, que decorreu ao longo dos dias 26 e 27 de março. Associação de Escolas de Surf de Portugal destaca o sucesso de um “evento único”, em que os operadores definiram estratégias para o futuro pós-COVID19, bem como para o licenciamento e regulamentação da atividade.

Foram cinco as sessões virtuais promovidas pela Associação de Escolas de Surf de Portugal (AESDP) ao longo de dois dias e que contaram com a participação de cerca de 50 associados. Na primeira sessão, reuniram-se os associados da Costa da Caparica para definir a estratégia de criação de um Núcleo Local da AESDP na região. As restantes quatro sessões, ao longo dos dois dias, serviram para apresentação dos resultados de um questionário realizado pela Associação junto das escolas de surf e para debater o futuro da atividade de ensino de surf perante os desafios que enfrenta – consultar resultados do questionário.

Segundo o Presidente da AESDP, João Diogo Pinto dos Santos, “o sucesso deste evento único foi ainda maior do que esperávamos, o envolvimento e a participação ativa de todos foi excecional e conseguimos exatamente o que pretendíamos, que era colocar o futuro da associação nas mãos dos associados. Reforço ainda o nosso agradecimento aos convidados Miguel Pedreira, João Valente, Pedro Almendra e Nuno Jonet, que contribuíram com uma visão isenta e fora da ‘bolha’ das Escolas de Surf em relação ao que deverá ser o futuro da nossa atividade”. 

Por enquanto, os interessados podem esperar mais iniciativas deste género em breve. “O formato digital foi uma novidade e um teste para nós, pelo que estávamos um pouco apreensivos, mas dado o sucesso alcançado estamos já a preparar novos debates”, concluiu João Diogo Pinto dos Santos.

A Associação de Escolas de Surf de Portugal é uma entidade que reúne e representa os operadores de ensino de surf em Portugal, contando com mais de 150 membros associados.

+info: www.associacaoescolasdesurf.pt

Top
1 2 3 4 Página 1 de 4